O exercício crucifixo tem maior duração da repetição média comparado com o voador quando essa variável é prescrita livremente na musculação

Praticantes de musculação, freqüentemente, usam vários exercícios que envolvem grupos musculares semelhantes na tentativa de alterar o programa de treinamento com o objetivo de aumentar ganhos de hipertrofia e força em determinados músculos (WELSCH et al., 2005).

Sendo assim, a musculatura do peitoral tem posição de destaque nos programas de treinamento e vários exercícios são usados com o objetivo de desenvolver essa musculatura, entre eles o crucifixo (CRUC) e voador (VOA) (WELSCH et al., 2005). Embora possam parecer semelhantes, estudos têm mostrado diferenças significativas ao comparar variáveis como força máxima (COTTERMAN et al., 2005; JONES et al., 2008), ativação eletromiográfica (McCAW; FRIDAY, 1994, SCHICK et al., 2010; WELSCH et al., 2005) e as características cinéticas (JONES et al., 2008) entre exercícios realizados com pesos livres e máquinas.  Por esses fatores, levanta-se uma expectativa de que diferenças em outras variáveis do treinamento podem acontecer entre esses dois exercícios.

Siga @tais_braga no Twitter agora e fique sempre atualizado.

Entre as variáveis do treinamento de musculação está a duração da repetição (DR), definida como o tempo de estímulo de uma única repetição (CHAGAS, LIMA, 2008), tem sido estudada por influenciar de forma significativa as características do estímulo de treinamento. A mudança na DR pode alterar a carga de treinamento de uma sessão; por exemplo, um peso de 80 Kg pode representar quatro ou cinco RM, dependendo da DR, ou seja, realizar a sua série de repetições mais lenta, pode representar  variação no desempenho (ex. Número de repetições). Pesquisadores do Laboratório de treinamento na Musculação da Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional da UFMG, desenvolveram uma pesquisa com o objetivo de comparar as DR médias durante a realização de dois exercícios na musculação, sendo um com pesos livres (CRUC) e o outro em uma máquina (VOA), em programas de treinamento na musculação. Os resultados do estudo mostram que a DR média realizada no exercício CRUC foi maior quando comparada com a realizada no VOA, quando esta variável foi prescrita livremente. Possivelmente, essa diferença ocorreu devido à influência de outras variáveis tais como trajetória e amplitude de movimento. O estudo completo você confere no link abaixo.

http://www.efdeportes.com/efd164/o-exercicio-crucifixo-comparado-com-o-voador.htm O exercício crucifixo tem maior duração da repetição média comparado com o voador quando essa variável é prescrita livremente na musculação os quais os indivíduos têm como referência uma DR livre.

Por: Taís Braga (Personal trainer) Educadora Física, especialista em grupos especiais.

Texto sedido por: LucasLacerda(Pesquisador da UFMG) http://www.facebook.com/#!/lucas.lacerda.564

Graduada em educação física desde 2008, pós graduada em grupos especiais, atua no mercado de personal Trainner, atendendo em academias, condomínios, casas. Atendimento presencial e on-line. Estudante de psicomotricidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *