Atualmente a Fibromialgia é uma das doenças reumatológicas mais frequentes, caracterizada por dor muscular generalizada no corpo acompanhada de sintomas de fadiga, alterações de sono, memória e humor.

Segundo alguns estudos, a prevalência é maior em mulheres entre 35 a 44 anos e geralmente os sintomas aparecem após um trauma físico, uma cirurgia, uma infecção ou uma tensão psicológica significativa. O fator genético pode estar relacionado também, entretanto até agora não foi descoberto o gene causador da doença.

O principal sintoma comum em todos é de muita dor, sendo esta até mesmo tão intensa que impede o enfermo de praticar atividades simples e corriqueiras do dia a dia e muitas vezes quase não conseguem realizar alguns exercícios.

Diagnosticando a Fibromialgia

O diagnóstico é clínico e baseado na dor do paciente, devendo esta ser difusa e presente há mais de três meses.

Para a confirmação do diagnóstico, usa-se como referência a palpação de 18 pontos anatômicos sendo positivo na presença de dor em 11 dos 18 pontos dolorosos.

Principais Sintomas

1) Dor crônica Generalizada: Principalmente no período da manhã que ocorre em ambos os lados do corpo, acima e abaixo da cintura, porém com ênfase maior na cervical, costas (região lombar) e membros inferiores.

A dor associada à fibromialgia muitas vezes é descrita como uma dor difícil de caracterizar, nem forte nem aguda, que poderíamos chamar de dor “cansada” e constante.

2) Fadiga: Pessoas com fibromialgia despertam-se já referindo cansaço, mesmo dormindo por horas suficientes, definindo um “sono não reparador” dificultando o ânimo do aluno de praticar os exercícios físicos.

3) Dificuldades Cognitivas:Alguns alunos relatam dificuldade em memorizar algum lembrete ou falta de concentração com raciocínio prejudicado, assim como problemas de linguagem, tais como dificuldade para se recordar e falar palavras comuns.

4) Outros Problemas: Muitas pessoas que têm fibromialgia também podem apresentar dores de cabeça tensionais, disfunção da articulação temporomandibular, síndrome do intestino irritável, ansiedade e depressão.

Proporcionando Bem Estar ao Aluno com Fibromialgia

Limitações funcionais decorrentes da fibromialgia e do envelhecimento implicam em mudanças diretas no bem-estar e qualidade de vida.

A manutenção da independência física, psíquica e social, frequentemente impactadas pela fibromialgia, é importante na preservação da autonomia funcional e qualidade de vida destes pacientes, que são fatores importantes na manutenção de habilidades motoras e prevenção da dor.

Sabe-se que dentro dos tratamentos alternativos para a fibromialgia incluem exercícios físicos diários de preferência exercícios de baixo impacto para a articulação.

O foco no treinamento deve ser no alongamento da musculatura global, melhora da postura e no fortalecimento muscular. 

O exercício físico na fibromialgia proporciona ao doente o aumento de neurotransmissores como a serotonina e o aumento de hormônios como o GH (hormônio do crescimento), além de outras alterações sistêmicas que contribuem diretamente para a melhora da dor, da qualidade do sono, da fadiga, da ansiedade e de outros sintomas. 

Avaliação Correta para Traçar Objetivos

Sabe-se que cada aluno com fibromialgia terá uma queixa específica de dor acentuada em um ponto/músculo específico.

Para isso, é muito importante o profissional realizar uma boa avaliação para assim, tratar especificamente a queixa do aluno, sempre visando proporcionar uma melhora do quadro ao final da aula.

No paciente com fibromialgia, o maior objetivo, além de aliviar a dor, é fornecer um ganho na flexibilidade através dos exercícios, o que contribui para um desempenho físico, reduzindo as necessidades de energia para o movimento das articulações.

Dessa maneira, diminuindo as tensões nos tecidos, e consequentemente evitando posições que exigem muito do aluno, e consequentemente reduz a fadiga precoce que prejudica a qualidade de vida deste paciente.

Exercícios para Combaterem a Dor

A maioria dos pacientes com fibromialgia chegam com queixa de dor em cervical, coluna lombar e membros inferiores.

Seria mais indicado iniciar a aula enfatizando alongamentos de cadeia posterior. Com o intuito de promover um alívio mais rápido e eficaz das tensões musculares e dor do paciente com fibromialgia.

Conclusão

Fibromialgia é uma patologia que acomete o corpo do ser humano podendo causar muita dor.

Por isso, quando um paciente/aluno possui fibromialgia é importante que ela faça um tratamento especializado na causa para que esta dor possa ser melhorada.

Graduada em educação física desde 2008, pós graduada em grupos especiais, atua no mercado de personal Trainner, atendendo em academias, condomínios, casas. Atendimento presencial e on-line. Estudante de psicomotricidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *